terça-feira, 25/junho/2024
ModelosParecer Jurídico: Violação de Direito do Idoso

Parecer Jurídico: Violação de Direito do Idoso

Olá! Trago hoje um caso de violação de Direito Constitucional, em especifico Direito do Idoso.
O interessante deste caso ao meu ver é que trata-se de um caso de abandono afetivo e físico de pessoa idosa, a minha maior dificuldade como causídica foi vislumbrar a fragilidade do Estatuto do Idoso e a baixíssima penalidade no caso de abandono.

 

Terminei esse parecer com a conclusão que a Lei 10.741/2003  já começou a vigorar ineficaz quanto a punição de filhos que abandonam seus pais idosos, considerando ser a pena  tão baixa quanto as que punem os pais por abandono de Criança e Adolescente (Lei 8.069/1990).
Exalto ainda, o brilhante Sistema Único de Assistência Social, que quando tem suas verbas bem utilizadas pelos municípios fazem nascer e manter um trabalho assistencial brilhante !   Mas isso é assunto para um outro tópico!
Segue abaixo, o parecer acerca de medidas a serem tomadas acerca de abandono de idoso por seus filhos.
Abraços e até a próxima!

 

parecer-juridico-pj


Caso: xxxxxxxxxxxxxxx.

Direitos Violados. Direito Constitucional. Direito do Idoso.

 

 

P A R E C E R     J U R Í D I C O

 

Trata-se de denúncia de caso de suspeita de violação imediata de Direitos da Sra. xxxxxxxxxxxxxxxxxx, 71 anos de idade.  Diante a denúncia realizada perante esta entidade, fora realizada visita e acompanhamento psicossocial que ensejaram o Relatório Psicossocial, datado de xx de xxxxxxxxxx de 20xxxx.

Encaminhado tal relatório á este setor jurídico, fora verificada, a violação dos Direitos Constitucionais elencados no Art. 6º (Direito a  Alimentos); Arts. 196, 197 e 198 (Direito á Saúde) e Art. 230  (Direito das Pessoas Idosas)  cumulado com a violação de Direitos Supre legais, elencados na Lei 10.741/2003 (Estatuto do Idoso). Restando ainda evidenciado  a conduta delituosa elencada nos artigos 97 e 99 da Lei 10.741/2003.

 

Diante o fato relatado e vislumbrando satisfazer o que dispõe a Constituição Federal em seu art. 230 §1º,  foram intimados para fins de prestar esclarecimentos e receber orientações, os três filhos da Sra.xxxxxxxxxx que residem em xxxxxxxx, quais sejam: xxxxxxxxxxxxxxxx e xxxxxxxxx . Intimados, comparecem aos dias xxx de xxxxxxxx de xxxx, os filhos  xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx..

 

Na oportunidade de atendimento, a Sra. xxxx informou que tomava conta da aposentadoria da mãe, com o referido beneficio comprava comida para mãe e para que seu irmão xxxxxx.

 

Na mesma manhã fora orientado também o Sr. xxxxxxxxx, que mostro-se resistente a ter qualquer cuidado com a mãe, inicialmente disse que trabalhava e que não podia ajudar em nada com os cuidados com sua genitora, após essa causídica informar que o fato do mesmo trabalhar não o eximia de suas responsabilidades e cuidados com sua genitora, o mesmo exarou após estes esclarecimentos que não tomava conta de sua mãe porque ela tinha filhas mulheres e ele como filho homem não possuía obrigações. Diante o relatado e após longa explicação acerca dos Direitos dos Idosos e penalidades a serem atribuídas ao mesmo acerca do abandono, o Sr. Osvaldo compromete-se a cuidar de sua mãe nos sábados a tarde e aos domingos.

 

Aos dias xxx de xxxxxx, compareceu perante a esta causídica, após intimada,  a Sra. xxxxxxxxxx, filha da Sra. xxxxxx, que informou que trabalhava o dia todo, só chegava a noite em casa, e que quando chega a noite passa na casa de sua mãe, mas que não podia fazer isso com frequência pois cuidava de outros dois filhos de menor, mas que sempre cuidava da mãe e limpava sua casa, o problema era que a casa sujava muito. Diante o relatado e após longa explicação acerca dos Direitos dos Idosos e penalidades a serem atribuídas ao mesmo acerca do abandono, a Sra.xxxxxxxx compromete-se a cuidar de sua mãe ajudando e auxiliando a Sra. xxxxxxxx.

 

Passados quinze dias das referidas orientações fora realizada visita da equipe do CREAS, á qual acompanhei, a Sra.xxxx, filha que mais tem acesso á Sra.xxxxxxxxx e que administra seu beneficio,  naquela oportunidade a mesma disse que não havia comprado o colchão que soube que a mãe iria ganhar e pelo fato de ainda não ter saído a aposentadoria da mesma, a alertei que o objeto poderia ser comprado a prazo e dividido em várias vezes, apesar da negativa da negativa que não conseguiria, foi interrompida por seu esposo que disse que haveria sim a possibilidade de compra a prazo e que a mesma iria comprar o colchão pois discordava que a sogra ganhasse o referido se ela tinha a aposentadoria. Perguntado acerca da limpeza da casa e alimentação da mãe, a mesma informou que desde segunda-feira ela cozinhava para a genitora e seu irmão xxxxxxxxxxx e a sem sua casa buscar a comida e levar em casa, disse ainda que estava cuidando da casa da mãe.

 

Logo em seguida fora realizada visita á casa da Sra. xxxxxxxxx, e em que foi comprovado que tudo que sua filha havia falado não era verídico, visto que a casa estava suja e sem nenhum cuidado e nos últimos três dias quem havia cozinhado era o Sr. xxxxxxxxxxxx, filho da Sra. xxxxx, conforme se verifica em todas as fotos em anexo.

 

Diante o exposto, verificada de forma clara que a filha xxxxxxxxx não esta administrando bem o beneficio previdenciário da Sra. xxxxxxxxxxxx,  OPINO que sejam intimadas novamente as filhas da Sra. xxxxxxxxxxxx, para que seja proposta a mudança de administração do beneficio previdenciário da mesma.

 

Requerendo ainda as seguintes diligências:

 

a) que notificada a Vigilância Sanitária local para limpeza do referido imóvel, inclusive interna, a ser realizada sob observação e anuência expressa dos filhos da Sra. xxxxxxxxx, por se tratar de limpeza em propriedade privada, sob pena de violar Direito de Propriedade.

 

b) seja oficiado á Secretária de Saúde do Município, para que seja realizado todos os exames necessários para detectar os males que afetam a Sra. xxxxxxxxxxx;

 

c) seja oficiado o INSS para que forneça extrato de descontos realizados no referido beneficio previdenciário;

 

d)  que seja o presente parecer jurídico encaminhado ao Ministério Público Estadual, visto que fora verificada, a violação dos Direitos Constitucionais elencados no Art. 6º (Direito a  Alimentos); Arts. 196, 197 e 198 (Direito á Saúde) e Art. 230  (Direito das Pessoas Idosas)  cumulado com a violação de Direitos Supre legais, elencados na Lei 10.741/2003 (Estatuto do Idoso). Restando ainda evidenciado  a conduta delituosa elencada nos artigos 97 e 99 da Lei 10.741/2003;

 

e) Após, tornando-se ineficiente as medidas aplicadas, renove-se vistas a esta advogada deste Centro de Referência.

 

É o parecer.

 

Local, data.
Advogado(a)
OAB/XX nº XXXXXX.

 


Como citar este texto:
LYRA, Camila. Parecer Jurídico – Direitos Violados. Direito Constitucional. Direito do Idoso. Disponível em: <www.perolasjuridicas.com/2014/03/parecer-juridico-violacao-de-direito-do-idoso.html>. Acesso em: __/___/2014.

Colaborou com o Megajurídico, publicando modelos de pareceres jurídicos e petições. É advogada militante em PE, professora de Direito Administrativo e Constitucional em preparatório para concurso público.

Receba artigos e notícias do Megajurídico no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/megajuridico.
spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do(a) autor(a)

Most Read

Seja colunista

Faça parte do time seleto de especialistas que escrevem sobre o direito no Megajuridico®.

Últimas

- Publicidade -