quarta-feira, 24/julho/2024
NotíciasO fim de uma era: Ministra Eliana Calmon se despede do STJ

O fim de uma era: Ministra Eliana Calmon se despede do STJ

ministra
 

 

 

A 4 dias da aposentadoria, a ministra Eliana Calmon manda mensagem de final de ano. No vídeo, a ministra diz que é hora de fazer um balanço e de pensar na concretização dos sonhos para o ano que chega.

A ministra Eliana Calmon, do Superior Tribunal de Justiça, despediu-se da 1ª Seção (reunião de duas turmas), especializada em direito público. A ministra, 69 anos, notabilizou-se por sua recente atuação, durante dois anos, como severa corregedora nacional de Justiça. No próximo dia 18, depois de 14 anos no STJ, ela se aposenta oficialmente, e logo formaliza sua filiação ao partido Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva – ainda sem registro aprovado – e anuncia oficialmente sua candidatura ao Senado, pela Bahia, nas eleições do ano próximo, concorrendo pelo PSB.

“A vida é um livro e a gente vai passando as páginas. Quando eu passo a página, eu tenho muita saudade, mas, no mesmo momento, eu me entusiasmo para dar continuidade à leitura da página seguinte”, disse.

Eliana Calmon é mais conhecida por sua passagem no CNJ do que pelo STJ. Dada a frases de efeito e declarações de repercussão, quando corregedora nacional, ela traçou como meta própria acabar com a corrupção no Judiciário. Era o que ela reputava ser o principal problema da Justiça. Em entrevista chegou a dizer que estava à caça dos “bandidos escondidos atrás da toga”.

Ao terminar minha trajetória, quero simplesmente dizer: obrigada, vida; obrigada, destino; obrigada, Judiciário; obrigada, servidores queridos; obrigada a todos que, em um surdo complô cósmico, fizeram a felicidade de Eliana Calmon.

Ministra e a inclusão feminina

Falando em nome da Corte, a ministra Nancy Andrighi destacou a importância de Eliana Calmon para a magistratura brasileira e lembrou que coube a ela abrir as portas para a inclusão feminina na composição do STJ. Todas as mulheres desse país são gratas a vossa excelência, afirmou.

O fato é que a saída da primeira ministra do STJ é uma grande perda para o judiciário e para a sociedade em geral. Mas toda trajetória tende a ter um fim e Eliana fez muito bem o seu papel no ordenamento jurídico. Espero que a mesma consiga realizar mudanças também no cenário político. Embora uma casa legislativa tenha muito mais complexidade causídica do que qualquer tribunal de instância superior. Quem decidirão se a ilustríssima ministra representará o povo no legislativo somos nós. Inclusive somos nós os responsáveis por ter colocado nossos representantes no poder, espero que ela nos represente bem. Fazendo 10% na política do total do que ela fez no judiciário já está de bom tamanho.

 

Fontes: CONJUR, Migalhas, STJ

Sergipano; Componente do grupo de pesquisa Educação, sociedade e Direito (CAPES/CNPQ); Advogado; Eterno estudante de Direito; Coautor do livro: Ensaios de Direito Constitucional - Uma homenagem a Tobias Barreto; Fã de xadrez e ficção científica.

Receba artigos e notícias do Megajurídico no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/megajuridico.
spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do(a) autor(a)

Most Read

Seja colunista

Faça parte do time seleto de especialistas que escrevem sobre o direito no Megajuridico®.

Últimas

- Publicidade -