Resolvi ser concurseiro, e agora?

Por Nedson Ferreira Alves Junior*

Os concursos estão em voga e virou até filme (do qual não irei tratar). Vocês lembram que até pouco tempo atrás as pessoas “normais” faziam penitências para casar, arrumar um emprego e comprar uma casa. Era uma promessa para cada desejo. Hoje, rezam pela aprovação em um concurso, porque o restante vem no pacote.

Dentre as demais carreiras jurídicas, o concurso é a que mais chama atenção no bacharelado em Direito. É estável, com boas remunerações e horário de trabalho fixo. São características que demoram a ocorrer na iniciativa privada.

Na próxima semana começarão as aulas na instituição na qual leciono e nesse semestre voltarei para a cadeira de Introdução ao Direito. É de praxe “forense” identificar aqueles que pretendem, no futuro, serem concursados. Isso serve para que o professor exerça a sua função direcionadora, porque a profissão de concurseiro começa no primeiro dia de curso.
Já pararam para pensar no tanto de fórmulas e dicas que dão para passar num concurso? Alguns poderão até considerar esse texto como mais uma delas, mas sou da corrente que prega a independência na forma de estudo de cada um. O que é pretendido aqui é refletir o ônus e bônus do concurseiro. Vejam que eu disse do concurseiro e não do concurso.
estudante_01258Cada indivíduo tem as suas manias e isso reflete nos estudos. Uns gostam de estudar no silencia absoluto, outros já curtem estudar ao som do Iron Maiden (como eu). A individualidade de cada um é que torna esse processo inexato, por isso não me arrisco a caminhar por esse norte.

Como tudo na vida, concurso é um objetivo a ser alcançado. E para tanto é preciso a readequação de planos e situações na nossa vida. Muitos falam em abdicar da família, festas, namoro e outras coisas para ter tempo suficiente para os estudos. Creio que seja uma pensamento intolerante e que precisa ser revisto.
Sabe-se que a aprovação em concursos exige leituras e mais leituras, bem como responder o máximo de provas possíveis. Para tudo isso é preciso tempo mas como senhores de nós mesmos, o tempo nós organizamos.
É comum imaginar um concurseiro como aquele que estuda o tempo todo. No seu carro escuta áudio-livros ao invés de AC/DC. No DVD, em sua casa, assiste aulas compiladas na internet no lugar de um bom filme. Pergunto: isso é eficaz? As respostas serão variadas, e respeito cada uma delas.
Mas pensem comigo. Se o concurseiro refere-se as suas atividades como “profissão” então devemos seguir um pouco da CLT. Ela nos diz que o trabalhador deve ter tempo para o lazer para produzir mais. E assim deve ser o concurseiro.

Dedicar o tempo integral aos estudos não será eficaz, porque é humanamente impossível abstrair algo quando a mente está estafada. E só se cansa a mente se não houver distração. Não é errado dedicar um tempo para a balada do sábado a noite; para o almoço de família de domingo; festas de casamento ou enterro da sogra. Vá com calma! Procure relaxar!

Você que quer fazer do concurso o seu objetivo de vida, saiba organizar o seu tempo de acordo com as suas características. Não é porque o cdf da sua sala estuda das 08:00 as 20:00 horas que esse método será eficiente para você. Cada um tem um nível de absorção diferente e o seu pode ser mais rápido.

Quanto a abdicar de outras atividades paralelas eu também sou contra. Continue com a sua academia, artes marciais ou outras, só diminua o tempo do treino. Vá ao clube no domingo, jogue o seu futebol ou pegue o seu bronze. Quando estamos com boa autoestima tudo funciona melhor.

Estabeleça as recompensas pelo esforço no estudo. Se há um show que você queira ir no final de semana, estude 30 minutos a mais em cada dia da semana para não ficar com peso de consciência. Acontece que nós somos os nossos maiores algozes e se estivermos com a sensação de dever cumprido, tudo fica bem!

Sobre os materiais de estudo selecione aquele que mais aprá-lo. Comece a ler doutrinas menos complicadas para fazer a base do conhecimento. Depois que se sentir habilitado para conhecimentos mais profundos, siga adiante. O doutrinador deve ser da sua escolha, da mesma forma que o vade mecum.

Evite aquilo que te distrai mas não o exclua, porque nos intervalos de estudo use-o para descansar a mente e os olhos.
Leituras e estudos são hábitos e por isso precisam de tempo para ser adquiridos. Coloque metas para você e as cumpra. Você pode iniciar lendo 01 hora por dia, independente do número de páginas. Quando você sentir que o organismo acostumou com esse tempo de leitura diário, suba para 02 horas/dia e assim sucessivamente. É um meio eficaz que condiciona o cérebro e o corpo a aprender.

Se você resolveu ser concurseiro faça isso da sua vida, mas não A sua vida!

 

*Nedson Ferreira Alves Junior, Colaborou com o MegaJuridico escrevendo alguns artigos para o site. Advogado Militante, formado pela PUC/GO, proprietário da Unidade Damásio Educacional Goianésia.

envie-artigo-pj

Colaboradores
Colaboradores
Este perfil é reservado para publicação de artigos de colaboradores e material dos leitores enviados ao Megajurídico. Você pode enviar seu artigo para ser publicado. Leia a página PARTICIPE e saiba mais.
[fbcomments]

1 comentário em “Resolvi ser concurseiro, e agora?

  1. O único problema é que a única certeza da vida é que ela acaba.

    A saúde pode acabar, podemos perder alguém que amamos…

    Imagine a dor de ver alguém que você ama partir e pensar que deixou de passar uns momentos gostosos com essa pessoa?

    Dinheiro é importante, emprego é importante, estabilidade é importante.

    Só que tem coisas que talvez você não tenha tempo de fazer depois de aprovada e que não voltam mais, então vá sim almoçar com seus avós, tomar uma cerveja com seus amigos, ver a lua com seu namorado, jantar com seus pais, brincar com seus irmãos… Da vida é somente essas coisas que se leva!

Deixe uma resposta