Que as manifestações estão acontecendo em todo o País não é novidade pra ninguém, mas, o fato do brasileiro ter aprendido a finalmente ir pra rua questionar os seus direitos pode ser uma novidade? O Brasil acordou?
Pra quem anda antenado na história de nosso País, o fato do povo ir pras ruas reclamar de seus direitos também não é uma novidade, já tivemos muitas manifestações nos períodos passados. O problema é que ficamos um tempo parados e isso pode parecer que estamos fazendo isso pela primeira vez em nossa história, o que não é verdade pois manifestações como as diretas já e o fora Collor já foram protagonizadas anteriormente à essas que vemos hoje e que apoiamos plenamente, desde que não haja vandalismo exacerbado (pois sabemos que EM TODAS AS MANIFESTAÇÕES tem pessoas infiltradas já pra vandalizar mesmo).
Um possível problema que poderemos ter mais adiante de tudo isso ganha forma e nome definido: Eleições. É com ela que iremos fazer uma das maiores, senão a maior forma de manifestação possível no hipotético Estado democrático de direito que insistem em dizer que estamos vivendo. Então, com nossa presidenta caindo cada vez mais em sua popularidade a aprovação, chegamos a um fator comum: Quem deverá assumir a presidência? E os demais cargos? Seria o momento de um golpe militar, já que “nenhum partido presta”? Tomemos cuidado com um possível golpe militar!
Uma ótima dica de leitura que posso indicar é o brilhante texto da socióloga Marília Moschkovich, você pode ler um pedaço do texto abaixo:

 Prelúdio de um… golpe?

No metrô um aviso: as estações de trem estavam fechadas. É, pois é, aquela coisa que havíamos falado antes e tal. Mal havíamos chegado em casa, porém, uma conhecida posta no facebook que um amigo não conseguiu chegar em lugar nenhum porque algumas pessoas invadiram os trilhos da CPTM e várias estações ficaram paradas, fechadas. Não era caos “normal” da CPTM, nem problemas “técnicos” como a moça anunciava. Era de propósito. Seriam os mesmos do colchão, do carro da Record?

Algum tempo depois, mais uma notícia: em Belo Horizonte, onde já se fala de chamar a Força Nacional e onde os protestos foram violentíssimos na segunda-feira, havia ocorrido a mesma coisa.Depredação total do centro da cidade, sem nenhum policial por perto. Nenhunzinho. Muito estranho.

Nessa hora eu já estava convencida de que estamos diante de uma tentativa muito séria de golpe, instauração de estado de exceção, ou algo do tipo. Muito séria. Muito, muito, muito séria. Postei algumas coisas no facebook, vi que havia pessoas compartilhando da minha sensação. Sobretudo quem havia ido às ruas no dia de hoje. 

Bolada
Enfim, é bom estarmos atentos à todas as mudanças e possíveis aproveitamentos do momento em que estamos passando para que o pior não aconteça. Torçamos para que isso não passe de uma mera conspiração, o que penso que seja muito difícil. E a posição da presidenta diante de tudo isso? Sem comentários!Sonhemos com o dia em que teremos um presidente que aprenda a manifestar sua opinião de forma convicta e sem texto  politicamente correto prontinho e sem argumentos convincentes de que está certa em seu posicionamento.

Deixe uma resposta