simulados

 

 

Olá queridos e queridas de notável saber jurídico e reputação ilibada! Hoje vamos tirar um dedinho de prosa acerca da importância da realização dos tão famosos simulados.

 

Todos nós já estamos carequinhas de saber que todo tipo de recurso válido que venha a nos ajudar na corrida da preparação para as provas de concursos e também das provas da Universidade (que não são nada fáceis) é válido. Os simulados são  nada mais nada menos que uma ótima ferramenta para você ver como estão seus conhecimentos acerca de um determinado assunto ou se está de acordo com o nível de exigência de conhecimento que a banca “x” exige.  Então vamos lá:

O simulado é o espelho de seu conhecimento

Como já dito anteriormente, é  simulando que você pode ter realmente a noção real de quanto você sabe acerca de um determinado assunto. Sem contar que você pode até aprender coisas novas sobre algo que você já estudou quando vai responder questões. Geralmente quem mais faz uso desse excelente recurso é a galera dos concursos públicos porque hoje em dia os simulados estão cada vez mais semelhantes às provas “reais” cobradas pelas mais exigentes bancas examinadoras (CESPE, FCC, ESAF e cia). Além disso, não só a galera dos concursos públicos mas também os guerreiros e guerreiras que estão na luta para adquirirem o direito de advogar mediante a aprovação nas duas fases do exame da ordem dos advogados do Brasil (OAB) também usam simulados como forma de preparação.

Praticamente todos os cursos preparatórios fazem uso dessa técnica e, em relação à segunda fase do exame da OAB, muitos até acertam a peça que vai cair! Mas por que? Isso ocorre por conta da prática. De tanto você praticar você acaba esgotando todas as possibilidades de uma determinada questão e independentemente da forma como ela venha a ser cobrada você acertará. Quem estuda para a segunda fase da OAB vive praticando simulados das mais variadas peças processuais e de tanto praticar acaba esgotando todas as possibilidade e por consequência fica preparado(a) para o que der e vier. Isso vale não só para a peça, mas também para as questões subjetivas da mesma segunda fase.

Entretanto, você da graduação também pode fazer uso dessa técnica mesmo não estudando pra concurso e/ou OAB (na verdade você estuda pra OAB durante os 5 anos porque a intenção da FGV é testar o que você aprendeu no bacharelado, mas enfim). Da mesma forma que um OABeiro esgota todas as formas de peças processuais, por que um graduando não pode fazer isso esgotando todas as possibilidades de pergunta sobre um determinado assunto? Por exemplo: Está estudando para a primeira avaliação de direito das obrigações? Então pratique simulados de questões sobre o assunto na maior quantidade possível que você esgotará todo o assunto através das questões e mesmo que seu professor cobre de forma diferente você irá acertar.

 

Mas a questão é: A maioria dos sites cobram por simulados, e agora Henrique?

Eu separei alguns links de sites que permitem que você responda questões gratuitamente bastando apenas um cadastro na faixa, vamos lá:

 

Até passar – Questões: Não precisa fazer cadastro para responder as 173292 questões, mas aconselho a fazer o cadastro gratuito porque o site é muito bom.

OpenConcursos: Precisa o cadastro mas é de graça também. Ele é muito bom e ainda tem um ranking entre os usuários assim você pode competir com seus amigos da facul ou seus amigos OAbeiros, concurseiros… Super indico.

Estude grátis: O nome já diz tudo, se cadastra lá e bons estudos.

Aprova Concursos: Mais de 200 mil questões esperando você respondê-las gratuitamente, tá esperando o que? Vai lá!

 

Agora é com você, bom simulado pra você graduando, concurseiro e OABeiro. Faça o certo até dar certo, uma hora nós acertaremos. Vamos juntos.

Deixe uma resposta