Gestão de tempo para advogados iniciantes

A gestão de tempo é um desafio para muitos advogados que ao longo da carreira vão acumulando trabalhos e quando percebem estão com uma pilha de tarefas não concluídas ou mal concluídos por falta de tempo e por falha da administração pessoal.

Muitos advogados imaginam que por estarem no começo da carreira e por terem poucos clientes e/ou processos não precisam se preocupar com a organização mas isso é um erro, um erro grave, pois é justamente o momento ideal para se planejar, buscar a melhor forma de fazer uma gestão efetiva de tempo, visto que quando os clientes surgirem (e surgirão), o advogado pode se dedicar à eles da melhor forma possível e para isso a organização é fundamental.

No meu caso eu procurei um sistema que pudesse me auxiliar com as minhas tarefas e localizei um programa gratuito para os advogados pelo prazo de até 3 (três) anos após o compromisso com a seccional da OAB. Esse sistema atendeu minhas necessidades básicas e essenciais e me ajudou a realizar o meu planejamento futuro. Esse prazo de 3 (três) anos é suficiente para o advogado crescer na carreira e realizar uma assinatura mensal com outros sistemas ou com o mesmo sistema.

Além disso outras atitudes importantes devem ser adotadas no nosso dia, tanto na vida pessoal quanto na vida profissional, visto que o impacto de uma na outra é inevitável. Descrevo algumas dicas que foram e são importantes para mim e que podem auxiliar qualquer advogado no início da carreira a fazer uma boa gestão de tempo.

 

1 – Separe as prioridades.

Parece uma dica óbvia mais ainda existem advogados que começam pelo mais fácil, sem pensar nas prioridades. Esses advogados acreditam que começando pelas tarefas mais fáceis sobrará mais tempo para realizar a tarefa mais importante (ou prioritário) mas isso muitas vezes não ocorre. O resultado dessa atitude será uma dor de cabeça enorme e esgotamento quando for a hora de encarar o “chato”, porém, urgente.

A dica é: separe as prioridades e comece por elas. Simples assim. Lembre-se: O difícil é começar, porém depois de iniciado tudo flui.

2 – Aprenda a contar prazos e estabeleça prazos para suas tarefas.

Outra dica aparentemente “boba” visto que deveríamos aprender a contar prazo na faculdade, porém é importante salientar que alguns profissionais do direito não passam a atuar assim que se formam, portante é normal e não é constrangedor se você não se recordar de como se conta prazo. Por esse motivo, leia a legislação e nunca deixe para cumprir seus prazo no último dia, o fatal. Ainda, será através da contagem de prazo que você estabelecerá o que é prioridade e o que não é.

Além disso, é importante delimitar prazos para tudo, assim suas tarefas não ficam “voando”, visto que é muito comum nós pensarmos – Amanhã eu faço – ; porém, com a definição de um prazo teremos uma data certa para cumprirmos aquela tarefa e inconscientemente nosso cérebro trabalhará com maior compromisso.

Ainda nessa dica, precisamos determinar prazos para realização de cada tarefa, considerando que temos a tendência de procrastinar tudo, do fácil ao difícil. Quando é fácil, enxergamos tão fácil que deixamos para fazer depois; e quando é difícil temos “preguiça”. Por isso é importante estabelecer prazos para início e determinarmos mesmo que superficialmente o fim.

3 – Desafogue seus pensamentos.

Em falar em cérebro, gostaria de compartilhar essa dica que li em um artigo. É importante desafogar o cérebro, isso é, anotar todos os seus compromissos e tarefas.

Se você gosta de anotações em papéis ou em painéis, não economize nos bilhetinhos, nas agendas, nos cadernos, nos painéis e/ou nos murais, desde que você não se perca obviamente. Mas se você ama tecnologia e se dá bem com as agendas eletrônicas, crie tarefas e alarmes em seu e-mail, ou em blocos digitais.

Nesse caso, o intuito é não confiar somente na sua mente, pois somos falhos, e além disso, você consegue dar outras funções para essa máquina maravilhosa que se chama cérebro.

4 – Busque auxílio na hora do “aperto”.

Já comentei que encontrei um software jurídico que me auxiliou. Vi uma forma de delegar tarefas, visto que o programa se tornou minha mão direito, porém nesse caso ainda que com o auxílio dele, era eu que executava as tarefas.

Se você tiver condições de contratar um estagiário ou uma secretária, não pense duas vezes. Delegar tarefas é de longe a melhor solução para a gestão de tempo e talvez a contratação de um auxiliar seja um bom investimento.

Ainda que você seja um advogado excelente, se você centraliza todas as tarefas em você, não conseguirá se dedicar 100% (cem por cento) para nenhuma, trazendo uma aparência de desordem e descompromisso, pois ninguém consegue se dedicar totalmente para nada dessa forma.

 

Finalizando, essas são as dicas principais, porém não são taxativas. A desorganização é um defeito muito grande para qualquer profissional, e por isso a gestão de tempo deve ser trabalhada desde o início da carreira.

 

Jéssica Belisário
Jéssica Belisário
Advogada pela Universidade São Judas Tadeu atuante na área trabalhista com extensão em Processo Tributário pela FMU, Analista Jurídico na multinacional americana RR Donnelley com 8 (oito) anos de experiência em Departamento Jurídico e apaixonada por pesquisa científica. Publica quinzenalmente informações sobre carreira e rotina jurídica relatando de forma real os desafios de uma recém - formada na coluna Diário de Uma Advogada Iniciante. Sigam o Instagram https://www.instagram.com/diariodeumaadvogadainiciante/
[fbcomments]

Deixe uma resposta