Advocacia empreendedora: Introdução

Primeiramente gostaria de esclarecer que esse tema é longo e ao tratá-lo de forma simplória estaria deixando de vislumbrar muitos detalhes importantes que farão diferença na nossa rotina de advogados empreendedores. Por esse motivo, vamos realizar uma divisão. Hoje estamos publicando a primeira parte e as demais serão publicadas quinzenalmente.

Falamos incansavelmente em 2018 sobre empreendedorismo e alguns advogados simplesmente ignoraram, afinal estudamos direito cinco anos ou mais para agora falarmos em administração de empresas? Parece algo banal, mas, administração está em tudo e ela é essencial para a vida de um escritório de advocacia também.

O ano anterior foi um ano conturbado na vida política e financeira e isso refletiu diretamente na vida dos empreendedores e acreditem, nós advogados estamos na lista.

Seguindo a rota da economia, eu decidi entrar de cabeça no mundo do empreendedorismo e não foi como advogada e sim na área de alimentos; abri um restaurante pequeno de comida caseira, pois, eu queria saber o que era ter um comércio e não somente ser uma prestadora de serviços como é o caso do advogado. Nesse momento eu ainda achava que advogar não era empreender e que uma coisa não teria relação alguma com outra (ledo engano). Em um restaurante há despesas com estoque (arroz, feijão, sal, açúcar e etc), água, luz, telefone e demais, como advogada tenho despesas com sulfite, tinta para impressora, gasolina, ônibus, água, luz, telefone e demais; viram alguma semelhança?

Em ambos os modelos de negócio é necessário ter fluxo de caixa, controle de gastos e de estoque, saber a diferença entre receita e despesa. Em ambos os negócios é necessário planejar, em ambos os negócios há a possibilidade de falência caso não haja uma administração adequada. Visto isso, vale a pena investir em pesquisas, cursos ou em um contador. Hoje temos muitas palestras de incentivo nas seccionais da OAB tratando do assunto, pois empreender é coisa séria.

O que é abrir um escritório de advocacia? Escritório de advocacia é um modelo de negócio baseado na prestação de serviços jurídicos à empresas, governo e pessoas físicas. Abrir um escritório de advocacia faz com que você opte por ser um empreendedor e “empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões” FILLION, 1999, pág. 19. Abrir um escritório de advocacia com empreendedorismo é querer fazer diferente aquilo que é comum, é arriscar não ter horário e ao mesmo tempo ter, é iniciar do zero o que já existe (e existe muito – um em cada esquina). Ser empreendedor é imaginar diferente aquilo que muitos já fazem e esperar um resultado oposto do comum.

Para finalizar essa pequena introdução gostaria de replicar um pensamento que retirei da Revista Pequenas Empresas, Grandes Negócios, de um empreendedor chamado James Cameron – Cineasta: “Se você traçar metas absurdamente altas e falhar, seu fracasso será muito melhor que o sucesso de todos”. Pense Grande, Pense Diferente – Por mim.

 

 

Confira também:
Advocacia Empreendedora: Pesquisa de Mercado

Jéssica Belisário
Jéssica Belisário
Advogada pela Universidade São Judas Tadeu atuante na área trabalhista com extensão em Processo Tributário pela FMU, Analista Jurídico na multinacional americana RR Donnelley com 8 (oito) anos de experiência em Departamento Jurídico e apaixonada por pesquisa científica. Publica quinzenalmente informações sobre carreira e rotina jurídica relatando de forma real os desafios de uma recém - formada na coluna Diário de Uma Advogada Iniciante. Sigam o Instagram https://www.instagram.com/diariodeumaadvogadainiciante/
[fbcomments]

Deixe uma resposta