dividas

 

 

 

 

 

Momentos de crise são difíceis para qualquer pessoa. O orçamento aperta, ficamos sem condições de tomar decisões racionais, acabamos pagando mais juros do que gostaríamos e, por fim, tudo parece caminhar para o caos.

Nossa saúde passa a ficar debilitada, ficamos sem saber o que fazer para conseguir rolar as dívidas que crescem como uma bola de neve e vemos rapidamente o crédito secar. Perdemos o foco e, quando nos damos conta, até mesmo nossa fonte de renda começa a sofrer, reduzindo cada vez mais.

E os bancos? Já diziam os mais velhos que um banco te empresta um guarda chuva quando o clima está bom e exige de volta quando começa a chover: geralmente viram as costas para quem está com dificuldades e partem a procura de outra “vítima” mais saudável.

E agora consumidor, o que fazer?

zen-nao-620x412Primeiramente manter a calma. Ter em mente que não é o primeiro a passar por dificuldades e nem será o último e, com certeza, existem muitas pessoas na mesma (ou pior) posição .

Em segundo lugar deve focar na sua saúde. Estranho? Pode até parecer, mas tudo pode ficar ainda pior quando sua saúde está comprometida. A boa saúde física e mental é um dos pilares que vão lhe sustentar na sua volta por cima. Ter momentos de lazer e de prazer, mesmo quando as dívidas batem à porta, é fundamental para você se manter equilibrado e conseguir se reerguer. Não precisa ficar se penitenciando ou sofrendo porque a situação está difícil, pois isso pode fazer tudo piorar ainda mais.

Em terceiro lugar procurar ajuda profissional. Uma boa ajuda profissional pode fazer a diferença entre a falência completa e uma vitória retumbante.

Um profissional competente, seja um consultor ou advogado, pode analisar sua atual situação financeira (ou de sua empresa), interferir nas negociações e ajudá-lo a tomar as atitudes difíceis. Esse profissional, agindo de forma totalmente racional, não se intimidará nas negociações com os credores e poderá até mesmo agir como seu procurador, renegociando e ganhando o tempo necessário para que você (ou sua empresa) tenha aquele fôlego extra que tanto necessita. Enquanto isso você pode, mais tranquilamente, focar em ganhar dinheiro.

NOT-casais-ainda-precisam-conversar-mais-sobre-dinheiro-afirma-consultor-financeiro1341254486Muitos me perguntam: mas se eu já estou endividado, porque vou “gastar mais dinheiro” para sair desse buraco? Essa consultoria não é muito cara? Geralmente, o que um consultor ou advogado vai cobrar é apenas uma pequena porcentagem dos descontos obtidos nas negociações. Esse profissional deve estar preparado para oferecer a você soluções para seus problemas e não se tornar mais um problema, mais uma dívida para pagar.

Não há necessidade alguma de constrangimentos por estar inadimplente, pois todo mundo passa por dificuldades financeiras e o que realmente importa é o real interesse em sanar as dívidas, dentro das suas possibilidades.

Os EUA tornaram-se a nação mais rica e poderosa do planeta através de um princípio básico: todos podem se declarar insolventes e ter condições de recomeçar. Isso é o mais importante: poder recomeçar. Se por lá não fosse estimulado tanto esse recomeço, grandes empreendedores que mudaram o curso da história (e que quebraram várias vezes antes de acertar) não teriam existido.

Nada melhor que o tempo. O tempo cura todas as feridas, até mesmo as de crédito.

Deixe uma resposta