Advogado responde juiz com imagem de “joinha” em petição

O advogado Luiz Ronaldo da Silva, de Palmital, no interior de São Paulo, respondeu a uma petição de uma forma inusitada.
Para confirmar o cumprimento do acordo estipulado no processo de indenização por danos morais contra uma companhia área, o advogado Luiz Ronaldo da Silva respondeu com uma figura de um “joinha” a intimação do juiz do Juizado Especial Cível.

A forma inusitada como o advogado se manifestou ao juiz em petição tem repercutido nas redes sociais, pois ele anexou uma folha com a imagem de uma mão fazendo joinha para mostrar que concordava com os termos de um acordo entre sua cliente e a companhia aérea.

A imagem foi publicada por Omar Kaminski, que coordena o site Observatório do Marco Civil da Internet.

Advogado diz que é sucinto nas petições, mas usou o emoji pela primeira vez (Foto: Romeu Neto/ TV TEM )
Em entrevista ao portal G1, o advogado disse que não esperava que o fato tivesse repercussão e em nenhum momento quis desrespeitar a seriedade do âmbito jurídico.
Eu não esperava essa repercussão, não fiz de uma maneira jocosa, foi de forma muito natural. É que eu sou muito sucinto nas minhas petições e hoje com essa linguagem da internet, com símbolos eu resolvi responder com esse desenho. A petição era em resposta ao pedido do juiz, que faz parte do processo, um despacho normal. Nós fizemos o acordo e ele intima os advogados para saber se foi cumprido e essa foi a minha resposta ao cumprimento do acordo”, afirma.

Ainda de acordo com o advogado, Luiz Ronaldo, o Juizado Especial tem um caráter mais informal, que de certa forma permitiria o uso dessa linguagem mais inusitada. “Eu ainda não fui intimado para finalização do processo, mas acredito que não teve nenhum problema, porque o Juizado Especial tem como característica a informalidade, qualquer pessoa que tem algum problema judicial e tenha renda estipulada pode procurar o juizado e a reclamação pode até ser feita de forma verbal, com ou sem a necessidade de um advogado. Então são documentações bem simples.”
Luiz advoga desde 2002 e disse que costuma usar desenhos nas suas petições e em nenhuma dessas situações ele teve problemas com o magistrado. “Por conta da repercussão dessa vez, algumas pessoas criticam, acreditam que eu agi de maneira jocosa, para brincar, mas não foi isso não e também não pensei na repercussão”, finaliza.

O juiz Victor Garms Gonçalves, que receber o documento, não quis comentar o assunto.

Qual a sua opinião sobre o fato, deixe nos comentários.

Redação
Redação
Perfil editorial do MegaJurídico, criador e editor de conteúdo.


Comentar via Facebook

Deixe um comentário