Questão de concurso revolta candidatos em Jundiaí

Questão de Concurso público para a vaga de agente de serviços administrativos da Câmara de Jundiaí (SP), pergunta quem é o “rei do camarote” e causa revolta em candidatos. Para eles o tema “não agrega conhecimento”.
Candidatos disputaram vagas na Câmara Municipal de Jundiaí.

 

A questão de número 18 era sobre o empresário que ficou conhecido após reportagem da revista “Veja São Paulo” sobre os gastos de ricos na noite foi escolhida para ser uma das cinco perguntas sobre “atualidades” em um concurso no último domingo, na cidade de Jundiaí

 

prova_1

 

Entre as respostas possíveis estavam:
a) Waldemar Iódice (sic, o nome do estilista é grafado com V);
b) Alexander de Almeida;
c) Ricardo Mansur;
d) Thor Batista;
e) João Dória Jr.

 

Candidatos reclamaram que a pergunta não se encaixa em uma prova de concurso público.
A candidata, Daniele Almeida, disse: “Na pergunta do Rei do Camarote, algumas das opções eram obviamente erradas. Mas eu fiquei com dúvida entre o Valdemar Iódice e o Alexander de Almeida… chutei e errei“, lamenta.

 

Outra candidata a reclamar da questão é a auxiliar de escritório Bruna Segala, “Eu passei meses estudando sobre guerra na Síria, protestos de junho, o esquema de espionagem da NSA etc. Rei do Camarote não é atualidade, é fofoca!”, disse.

 

Vanessa Scarpa, que também prestou o exame, diz ter ficado “chocada” quando viu a questão na prova. “É incabível a pergunta do rei do camarote, não agrega conhecimento nenhum para a vida das pessoas, a mídia foi quem criou esse homem. O assunto não é pertinente e eu nunca imaginei que veria uma pergunta dessa em uma prova de concurso, tanto que errei a resposta, já que esse assunto nunca me interessou“, conta.

 

Alexander de Almeida, empresário que ficou conhecido como "O Rei do camarote"
Alexander de Almeida, empresário que ficou conhecido como “O Rei do camarote”

 

Além desta questão, a prova ainda exigia que o candidato soubesse de quais times de futebol eram os 17 torcedores presos em Santa Catarina depois de uma briga em um estádio, no fim de 2013.

 

Outra questionava em qual parte dos Alpes o ex-campeão de Fórmula 1 Michael Schumacher havia se acidentado quando esquiava: franceses, suíços, alemães ou austríacos.

 

Sobre a área de conhecimentos gerais, o edital de divulgação do concurso requisitava que o candidato estivesse preparado para: “Análise dos principais conflitos nacionais e mundiais”.

 

Segundo a Câmara de Jundiaí, 8.300 pessoas concorreram para as 20 vagas, numa relação de 415 candidatos/vaga (mais concorrido do que o vestibular de medicina na USP). O salário é de R$ 2.570.

 

O presidente da comissão de concursos da Câmara, Fabio Nadal, afirmou que a Casa contratou a empresa Makiyama e que apenas ela é responsável pela elaboração do conteúdo da prova.
Uma professora, que preferiu não se identificar, disse que os critérios utilizados para elaborar o conteúdo da prova são baseados em assuntos que tiveram grande repercussão na mídia em geral. “Perguntamos sobre eventos marcantes na parte social, que tiveram ampla divulgação pela imprensa nos dois últimos anos.

 

A Makiyama, que já realizou concursos para vagas no Tribunal de Justiça de Minas Gerais e na Eletrobras, informou que aguardará o fim do período de pedidos de impugnação, que termina hoje.

 

 

 

Em tempo: o Rei do Camarote é Alexander de Almeida; torcedores de Vasco e Atlético-PR foram presos após a briga; e Schumacher se acidentou nos Alpes franceses.

 

 

Fontes: Folha de São Paulo e G1

Redação
Redação
Perfil editorial do Megajurídico, criador e editor de conteúdo.
[fbcomments]

Deixe uma resposta