Não sei se o amor é uma necessidade. Mas a necessidade de amar é fundamental.

Estudantes e eternos operadores do Direito precisam (como necessidade legítima e autêntica) amar o Vade Mecum. É nele que se encontra o que muito se necessita para dar andamento à vida jurídica. Consultá-lo é tarefa constante. E de tantos contatos, se tornam íntimos, se completam.

E para expressar o amor ao Vade Mecum segue uma paródica da música “Os outros” (Kid Abelha/Leoni).

 

Paródia jurídica: Depois do Vade Mecum, os outros são os outros

Já conheci muitos livros,

gostei de uns e outros,

mas depois do Vade Mecum,

os outros são os outros.

 

Ninguém pode acreditar

na gente separado,

você tem mais de mil artigos

e eu quero permanecer ao seu lado.

 

Procuro evitar comparações

entre colas e anotações,

eu tento… te entender…

 

a minha vida continua

mas é certo que eu estudo na madruga,

quem pode me socorrer?

 

Depois do Vade Mecum,

os outros são os outros e só…

Depois do Vade Mecum,

os outros são os outros

E SÓ.

 

 

Deixe uma resposta