Sou ato apaixonado

ato apaixonado

Poerídica: Sou ato apaixonado

 

Se você fosse um

ato administrativo,

eu queria ser

sua competência,

sua finalidade,

sua forma,

seu motivo

e seu objeto.

 

Eu seria todo seus

requisitos de validade

pra te manter presente

na minha realidade.

 

E também

seria sua

presunção de legitimidade,

seria sua

imperatividade,

seria sua

autoexecutoriedade,

seria sua

tipicidade.

 

Eu seria seus atributos,

suas lindas qualidades

para não me tornar nulo

em nenhuma das nulidades.

 

Você administra eu,

eu requisito/atributo você.

Se o seu ato se perdeu,

meu ato vai te reconhecer.

 

Fica assim combinado:

você não me cassa,

não me revoga,

não me anula

que eu faço de graça

a minha outorga

ser só sua.

 

Ser pra sempre seu…

eu te darei este fato.

Você pegou o que era meu,

Eu te peguei no ato.

 

Por isso,

quero você para ser

o meu ato administrativo,

ato que pode ser conceituado

como a declaração do Estado…

do estado

em que eu me encontro:

sou ato apaixonado.

Rafael Clodomiro
Escritor, poeta e advogado. Idealizador do projeto "Poerídica" (poesia jurídica) (fb.com/poeridica). Vencedor do Prêmio Nacional UFF de Literatura 2009 e do IV Prêmio Moledo Sartori de Monografia Jurídica 2012. Servidor Público e pós-graduado em Gestão Pública na Escola de Contas e Gestão do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro.
[fbcomments]

Deixe uma resposta