O complexo caso da conturbada disputa judicial pela fortuna de Anita Harley

186

Maior acionista da rede varejista Pernambucanas, em coma há seis anos, não tem filhos biológicos e é centro de uma conturbada disputa judicial. Com uma fortuna de mais de R$ 2 bilhões é tema de confronto entre duas ex-funcionárias da empresa que afirmam ser esposas da magnata: Cristine Rodrigues e Sônia Aparecida Soares.

Anita Louise Regina Harley, 74, é a acionista majoritária das lojas Pernambucanas, uma das maiores empresas de varejo do Brasil. Em seu nome, estão 48% das ações da companhia. Ela é bisneta de Herman Lundgren, fundador da empresa.

Além da riqueza, também está em jogo o futuro da rede de varejo, que pode acabar mudando de mãos de acordo com o desfecho judicial da disputa.

Existem basicamente duas pessoas disputando a fortuna e as posses de Anita. De um lado, está Cristine Rodrigues, ex-assessora de Anita durante seu período como presidente da empresa, que diz ser atualmente casada com a empresária. Do outro, está Sônia Aparecida Soares, também ex-funcionária de Harley, que alega também ter sido esposa da magnata durante 20 anos.

Quando Anita sofreu um AVC (Acidente Vascular Cerebral), em 2016, ela entrou em coma e precisou de curadores. Cristine e Toshio Kawakami, contador de longa data, conseguiram a interdição judicial da empresária. A ex-secretaria ficou responsável pelos cuidados de saúde enquanto o contador pelo patrimônio.

Cristine possui uma procuração assinada por Anita que garante “acesso total ao local ou recinto em que eventualmente me encontre ou venha a me encontrar […], seja na minha própria residência, hospital, clínica de saúde ou de repouso, hotel ou pousada”. Cristine pode “permitir ou vetar” o acesso de determinadas pessoas a Anita, a seu juízo, e dar “em favor do meu bem-estar e de minha saúde, todas as ordens, instruções e autorizações […] ou autorizações solicitadas por médicos e equipe médica”.

Conhecido como testamento vital, é um documento que a pessoa exterioriza a vontade, com o intuito de disciplinar acerca dos cuidados, tratamentos e procedimentos médicos e terapêuticos que deseja, ou não, ser submetido se estiver inconsciente em decorrência de doença ou acidente.

Isso fez com que Cristine proibisse Sônia, ex de Anita, de visitá-la no hospital. Ela também mudou toda a equipe médica responsável pelos cuidados da empresária.

O documento, contudo, não fala sobre os fins dos bens de Harley. Sônia defende que o herdeiro dos bens de Anita é seu filho, Arthur Miceli. O jovem é seu filho biológico, mas batalha na justiça por reconhecimento como filho “socioafetivo” de Anita, alegando que foi criado pela empresária.

Arthur e Sônia moravam em uma mansão de propriedade de Anita, concedida por ela a eles. Nos últimos anos de consciência, ela morava em um hotel.

Cristine entrou com um processo para tentar reconhecer que também tinha um relacionamento sério com Anita, tentando alegar na justiça que elas tinham uma união estável.

Uma decisão recente reconheceu como filho socioafetivo dela um homem que pode se tornar o único herdeiro de uma fortuna avaliada em R$ 2 bilhões, mas parentes e amigos de Anita afirmam que se trata de um golpe.

O caso segue em análise.

Perfil editorial do Megajurídico, criador e editor de conteúdo.

Publicidade

Deixe uma resposta