jurídico

 

Poerídica: Procedimento jurídico amoroso

 

Se eu virar Lei,

você me respeita.

 

Se eu virar Doutrina,

você me argumenta.

 

Se eu virar Jurisprudência,

você me alimenta.

 

Se eu virar Analogia,

você me interpreta.

 

Se eu virar Costume,

você me aguenta.

 

Se eu virar Decreto,

você me disciplina.

 

Se eu virar Portaria,

você me determina.

 

Se eu virar Denúncia,

você me incrimina.

 

Se eu virar Inquérito,

você me investiga.

 

Se eu virar Processo,

você me advoga.

 

Se eu virar Concessão

você me outorga.

 

Se eu virar Licença,

você me concede.

 

Se eu virar Autorização,

você me cede.

 

Se eu virar Mandado,

você me cumpre.

 

Mas se eu virar seu Amor,

você me assume!

Escritor, poeta e advogado. Idealizador do projeto "Poerídica" (poesia jurídica) (fb.com/poeridica). Vencedor do Prêmio Nacional UFF de Literatura 2009 e do IV Prêmio Moledo Sartori de Monografia Jurídica 2012. Servidor Público e pós-graduado em Gestão Pública na Escola de Contas e Gestão do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro.

Deixe uma resposta