Malhação do Estudante de Direito

como malha
Crédito da foto: G1

A poesia jurídica de hoje relata como é a Malhação do Estudante de Direito.

O Estudante de Direito malha e malha muito, mas sua malhação é diferenciada!
Confira:

Poerídica: Malhação do Estudante de Direito

 

A atividade física do Estudante de Direito
é na Academia dos Conhecimentos.
Lá ele aprende a manter uma boa forma
para fortalecer e definir seus argumentos.

Quando o Estudante malha regularmente,
ele entorpece seu raciocínio, exercita a mente.
Deste modo, seu metabolismo fica acelerado
aumentando os músculos do seu aprendizado.

As fontes do Direito auxiliam nos exercícios:
costumes e princípios são os aquecimentos,
pegam-se as leis para fazer os alongamentos,
com as doutrinas evolui-se nos movimentos
e a jurisprudência serve como suplemento.

Pra ser forte é preciso emagrecer a ignorância
e deixar os neurônios turbinados e inteiros.
Cérebro de Estudante de Direito não pode ser fraco,
tem que ser marombeiro!

Quando o Estudante de Direito diz “Eu malho”,
na verdade, ele quer dizer “Eu estudo”,
pois sabe-se que o fundamental é o conteúdo.
E estudo, é quase tudo.

Mas o cérebro não sobrevive só de musculação,
necessita também de uma boa nutrição.
Ou seja, para ter uma vida saudável deve-se unir
conhecimento, ação e um coração sempre a expandir!

Rafael Clodomiro
Escritor, poeta e advogado. Idealizador do projeto "Poerídica" (poesia jurídica) (fb.com/poeridica). Vencedor do Prêmio Nacional UFF de Literatura 2009 e do IV Prêmio Moledo Sartori de Monografia Jurídica 2012. Servidor Público e pós-graduado em Gestão Pública na Escola de Contas e Gestão do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro.
[fbcomments]

Deixe uma resposta