Jurista lança movimento pelo fim do político profissional

O jurista Luiz Flávio Gomes[1], um dos maiores criminalistas do Brasil, criou o Movimento pelo Fim do Político Profissional. A iniciativa popular, que via petição pública colherá milhares de assinaturas em todo Brasil, pretende lutar contra homens e mulheres que fazem da política seu único meio de vida.

É comprovado que a eterna reeleição nos cargos eletivos é um multiplicador da corrupção, nepotismo e clientelismo. Fatores que deturpam a política nacional, impedindo o desenvolvimento do país e bem estar de seus cidadãos. O objetivo do movimento é a aprovação de uma emenda constitucional que acabe com a reeleição no Brasil.

“A não reeleição é um freio contundente no atual quadro de degeneração da nossa política nacional, que precisa urgentemente de reforma”, diz Gomes. “Vamos chegar a milhão de assinaturas”, afirma.

Segundo ele, a reeleição é uma das principais responsáveis pela multiplicação da corrupção e nepotismo na política nacional. Presidente do Instituto Avante, Gomes tem números e dados que comprovam o quanto a reeleição é maligna para o país. A petição será entregue no Congresso Nacional.

A petição pode ser lida na íntegra e assinada por todos no seguinte link:

Petição Pelo fim do político profissional

O atual cenário de profunda insatisfação política, que culminou nas Manifestações de Junho/2013, somadas às intenções de votos brancos e nulos na casa dos 15% demonstram que essa mobilização é urgente e necessária. O atual cenário de profunda insatisfação política, que culminou com as manifestações de junho de 2013, somado às intenções de votos brancos e nulos na casa dos 15% demonstram que essa mobilização é urgente e necessária.

Por político profissional entendemos o que abandona sua profissão para ocupar cargos eletivos eternamente, como no caso de José Sarney. José Sarney não teria exercido (nefastamente, diga-se de passagem) mais de 60 anos de vida pública se essa regra já estivesse valendo.
Faz muito mal para o Brasil a existência do político profissional (o que faz da política um meio de vida, reelegendo-se eternamente).

Todas as assinaturas deverão serão entregues ao Congresso Nacional, para que seja feita uma emenda constitucional. O objetivo é:

  1. nenhum político pode ser reeleito para o mesmo cargo eletivo.
  2. nenhum político pode deixar de exercer a sua profissão particular,possibilidade de destituição pelo povo do político incompetente e corrupto, mesmo antes do fim do mandato.

 

 

Luís Flávio Gomes, em entrevista ao Jornal da Record News, falou sobre o movimento pelo fim do político profissional, aquele que faz do cargo público uma “carreira”. Confira:


[1] Luiz Flávio Gomes é presidente do Instituto Avante Brasil, doutor em Direito Penal pela Faculdade de Direito da Universidade Complutense de Madri e professor honorário da Faculdade de Direito da Universidad Católica de Santa María, em Arequipa, no Peru. Membro e consultor da delegação brasileira no décimo período de sessões da Comissão de Prevenção do Crime e Justiça Penal da ONU, realizado em Viena. Foi promotor de justiça em São Paulo de 1980 a 1983, juiz de direito de 1983 a 1998 e advogado de 1999 a 2001. Atualmente, é comentarista do Jornal da Cultura, as terça-feira, ao lado do âncora William Corrêa.

Redação
Redação
Perfil editorial do Megajurídico, criador e editor de conteúdo.
[fbcomments]

Deixe uma resposta