Coordenador: Ricardo Calcini.

A Reforma Previdenciária foi um dos assuntos de maior destaque no noticiário Brasileiro no ano de 2019, sendo afirmado por diversos meios de comunicação que se não fosse feito um sacrifício naquele momento para manter a saúde da previdência, o sistema, principal condicionante da estabilidade social e do dinamismo econômico no país, entraria em colapso.

Com a pandemia da COVID-19, o colapso do sistema previdenciário voltou a ser pauta dos noticiários em razão da diminuição da arrecadação, motivada pelo aumento do desemprego e a crescente concessão de benefícios previdenciários. Tudo indicaria que os esforços realizados ano passado seriam em vão, mas isso não é verdade!

Apesar da disseminação dos meios de comunicação no país, o acesso à educação previdenciária é quase inexistente. As informações sobre o alcance estratégico do cidadão aos benefícios é negligenciada (meio mais eficaz da garantia da defesa dos direitos sociais), tornando o povo brasileiro incrédulo sobre a sua futura aposentadoria.

Fato é que a afirmação da existência do déficit da Previdência partindo da apresentação das receitas e despesas atuais como um todo, como faz a mídia, é mitigar a realidade.

Isto porque especialistas e diversas entidades, como a ANFIP, apresentam resultados positivos sucessivos para o balanço da seguridade social sucessivos, levando-se em conta também receitas como FAT e DRU.

Este cenário demonstra que a diminuição da receita ocasionada pela atual crise mundial não afetará os benefícios concedidos ou os a serem concedidos, demonstrando a verdadeira solidez do Sistema Previdenciário mesmo antes da Reforma e que perdurará após a pandemia.

Deixe uma resposta