Gestão estratégica para o departamento jurídico

1101

Introdução

O setor que orienta a organização sobre práticas e processos, contém um papel fundamental para a manutenção da gestão estratégica corporativa e consequentemente, por resultados positivos.

E uma corporação que não possui um departamento jurídico estruturado, alinhado e produtivo está sujeita a momentos bem complicados.

Nesse texto, abordo toda a característica do departamento jurídico, como por exemplo, as suas principais atribuições, e como ter uma gestão estratégica no departamento. Continue a leitura!

O que faz o departamento jurídico nas organizações?

O departamento jurídico é um dos setores com mais conexões dentro de uma organização, tendo o poder de estabelecer diálogos desde o setor de compras até o marketing.

Mas, além disso, é importante ressaltar que a função do departamento jurídico ao longo dos anos vem se ressignificando, passando de um departamento que se destinava apenas a tratar de litígios ou da conformidade de processos, para uma participação crescente nas principais decisões a serem tomadas pelas organizações.

Diante desse cenário, é certo que o setor tem uma importância considerável na organização.

Veja algumas das novas atividades e atribuições do departamento jurídico:

  • o gerenciamento de riscos, incluindo o gerenciamento de contratos e fornecedores;
    proteção de informações;
  • a apreciação de fusões e incorporações;
  • a participação ativa na elaboração do planejamento e negociações para se evitar processos judiciais.

Todas essas atribuições possuem o objetivo de ser responsável por resolver conflitos rotineiros que ocorrem no dia a dia da empresa, alinhar os procedimentos conforme o previsto em lei e ajustar as atividades que podem, porventura, acarretar prejuízos e ações judiciais.

Qual o futuro do departamento jurídico dentro das empresas

O primeiro ponto a se pensar quando falamos em futuro é: os profissionais da área estão conquistando cada vez mais espaço junto à alta direção e aos gestores. Isso já é uma mudança considerável, já que expande as demandas e tira o jurídico de dentro de uma caixinha.

Claramente, essa mudança vem de uma enorme facilidade de adaptação a novas formas de negócio. Aliás, grande parte da excelência na gestão decorre da capacidade e habilidade em termos de adaptação.

O segundo ponto é: tecnologia. É mais que notório que, hoje, o cenário empresarial e mundial é outro, comparado ao de uma década atrás. Isso porque a inovação e tecnologia nunca estiveram tão presentes.

O segredo para não ficar para trás é: adaptar-se às mudanças. Aqueles que, de maneira rápida, tiverem fácil adaptação, terão o sucesso garantido. Isso porque o departamento que utiliza a inovação como ferramenta para essa atualização, está revolucionando a maneira como o mundo, as organizações e as pessoas se relacionam.

Veja, ferramentas tecnológicas do departamento jurídico que estão mudando o exercício da advocacia e que evidenciam o poder que a inovação tem de revolucionar esse departamento, estão descritas por exemplo, nessas três áreas:

  1. Na resolução de conflitos online, onde graças a inovação, hoje é possível resolver conflitos por meio de plataformas digitais, otimizando tempo, tornando o processo mais ágil e barato, sendo uma vantagem para todos os envolvidos.
  2. Na jurimetria, ter uma ferramenta é de extrema importância, hoje o mercado brasileiro oferece inúmeras alternativas de softwares jurídicos, baseados em soluções de Inteligência Artificial, focados em jurimetria.
  3. Nos processos e contratos, ambos são desafiadores quando o assunto é gestão, mas com a chegada de ferramentas de automação e gestão, os advogados solucionam esses problemas com muito mais facilidade.

Os benefícios de uma gestão eficiente do departamento jurídico

Conduzir o departamento de forma eficiente significa atuar de maneira preventiva, contribuir nas tomadas de decisões, ser integrado com outros departamentos. Todo esse contexto traz vantagens e benefícios.

E, quando o assunto é benefício, sem dúvidas um setor bem estruturado impacta na organização como um todo.

Abaixo, listo quais são os pontos estratégicos de uma gestão eficiente:

Implementação de práticas de gerenciamento: a implementação dessas práticas significa adotar uma gestão estratégica com foco no planejamento de ações e a atuação do departamento, analisando os resultados e consequentemente, fazendo melhorias. Importante destacar que, para conseguir implementar a gestão estratégica, é preciso realizar reuniões gerenciais com a equipe para realizar o diagnóstico do setor, com isso, é possível encontrar soluções para os problemas e projetar avanços e melhorias.

Aumento no desempenho: como já vimos anteriormente, o departamento jurídico é fundamental para dar informações valiosas aos empreendedores e empresários. E quando há uma análise bem feita, os resultados são positivos. Para que isso aconteça, a integração do departamento com outros setores é crucial, para que a análise seja feita levando em conta o contexto da corporação e as experiências de outros departamentos.

Estímulo ao networking: uma boa gestão para o departamento jurídico estimula o networking frequentemente, porque possuir parceiros valiosos no negócio pode trazer muitas vantagens à corporação. Quando se tem parceiros em que se possa confiar, o departamento consegue ter maior desempenho.

Melhoria na percepção do valor agregado pelo departamento jurídico: quando existe uma boa gestão para o departamento jurídico, os profissionais envolvidos demonstram que suas ações são de parceiros de negócios e, não de burocratas. Mas para que isso ocorra, é necessário entender as expectativas de outras áreas, antecipar suas necessidades e atuar preventivamente. Para mostrar que existe um alto valor agregado é fundamental conhecer a empresa.

Estrutura e realidade do departamento jurídico

Habitualmente, os departamentos jurídicos foram vistos como “ilhas” de seriedade e de segurança, bem como de tradicionalismo, formalismo e estabilidade. E sequer se pensava em um jurídico que pudesse ser moderno, inovador, ousado e criativo.

Grande parte dessa imagem de estabilidade e de solidez foi, em muitos casos, associada com uma antiga aura, retrógrada e formal. E, no campo corporativo, acabou afastando bastante os advogados das áreas de frente nas empresas.

O jurídico corporativo atual precisa conseguir conciliar a segurança jurídica que dele se espera, com a ousadia e o ritmo das empresas, precisa transmitir, além da confiança, também a vontade de ajudar, e a capacidade de gerar negócios e de acompanhar as novidades.

Temos que fazer mais com menos, e de forma ágil, moderna e com um custo menor, e isso é possível? É sim, basta usar a criatividade, ousadia a nosso favor.

A realidade atual exige um novo “tempero” e um novo “equilíbrio”. A realidade exige não apenas estar “ao lado do negócio”, e dele entender profundamente, demonstrando efetivo conhecimento, e capacidade de mostrar caminhos e gerar resultados, “agregando valor à empresa”, como também ter coragem e ousadia para inovar.

Obstáculos que impedem uma gestão estratégica

Infelizmente existem práticas que são recorrentes nos departamentos jurídicos que não adotam a gestão estratégica, e consequentemente enfrentam obstáculos pelo caminho.

A seguir falaremos sobre alguns destes, para que você possa identificar se eles fazem parte da sua rotina e assim, comece a mitigá-los.

INFORMAÇÕES ESPALHADAS
Como sabemos, o departamento jurídico recebe informações de diferentes fontes, e quando não existe uma gestão centralizada, acaba tendo informações espalhadas por todos os lados. Informações dispersas, sem uma finalidade, acabam dificultando a gestão, gerando trabalho e atrasos nas entregas.

FALTA DE PADRONIZAÇÃO NA GESTÃO DE CONTRATOS
Administrar contratos é uma das atividades mais essenciais de um departamento jurídico. Entretanto, se não houver padronização nesses contratos, existe um alto risco de isso complicar a fiscalização e a gestão desses importantes documentos.

NÃO TER UMA METODOLOGIA CLARA DE ORGANIZAÇÃO DOS ATENDIMENTOS
Os atendimentos judiciais de outras áreas da corporação que fazem requisições é um grande desafio para o departamento jurídico. Essa questão exige agilidade e um vasto conhecimento sobre os processos. Porém, quando há a falta de organização e sistematização dos pedidos, o resultado é o atraso e até mesmo o esquecimento desses compromissos.

Como tornar o departamento jurídico mais estratégico

A organização das atividades e informações necessárias para o bom andamento do departamento jurídico contribui para a equipe encontrar o que se precisa no momento em que necessita.

Deste modo, o departamento jurídico deixa de ser um setor reagente e passa a ser uma área estratégica da corporação. Tornando desse modo, um pilar de sucesso no negócio e uma vitrine para a fidelização de novos clientes.

Porém, para que seja possível alcançar esse nível de qualidade é necessário padronizar essa atividade. Tanto para atividades mais simples como relatórios periódicos até a verificação de prazos de vencimento de contratos.

Além disso, outro método que gera resultados é o investimento em controle de volume de informações que circulam entre os setores, tornando assim, o departamento jurídico mais estratégico e prático.

Como um software jurídico ajuda na gestão do departamento jurídico?

Os softwares jurídicos possuem a finalidade de tornar a gestão dos departamentos dessa natureza mais eficientes. A tecnologia dos softwares é desenvolvida para auxiliar a gestão dos inúmeros dados, documentos, informações e outras atividades que são desenvolvidas pelo departamento jurídico.

Como consequência disso, a rotina dessas atividades se torna mais organizada e eficiente. Através da automação dos processos, o software contribui na padronização e controle dos contratos.

Além do mais, para que o departamento jurídico possa tomar decisões mais exatas, é preciso se basear em um bom estudo e análise de dados.

Com a geração de um grande volume de processos eletrônicos e a possibilidade de consultá-los, tornou possível a criação da estratégia tecnológica chamada jurimetria, como mencionado já neste texto. Trata-se, então, da capacidade de medir informações a partir de dados jurídicos.

Com a utilização da jurimetria é possível ter aumento do índice de sucesso dos processos judiciais. Dessa forma, o departamento jurídico obtém, agilmente, identificar quais são as teses mais defendidas, por determinado magistrado e, como consequência, aumentar a possibilidade de o cliente vencer uma ação judicial.

 

Conclusão

Através desse conteúdo fica claro que o conceito de departamento jurídico evoluiu ao longo dos anos, passando por várias adaptações.

Ao contrário do que acontecia alguns anos atrás, quando o departamento só tratava de questões estritamente jurídicas, o grande diferencial, hoje, está justamente na capacidade multidisciplinar e analítica dos profissionais.

Quanto mais o departamento jurídico entender a empresa, integrar-se com as demais áreas e somar seus esforços às necessidades e objetivos do negócio da corporação, melhor será para a organização.

Atualmente o departamento jurídico passou a ser um departamento vital para a saúde dos negócios. Mas para isso ser efetivo de fato, é necessário destinar um tempo para o planejamento estratégico, além de investir em tecnologias que forneçam apoio na gestão do fluxo de trabalho, automatizando as demandas jurídicas e garantindo mais produtividade e excelência.

Tiago Fachini

Gerente de marketing e colunista do Blog ProJuris, palestrante, professor, podcaster jurídico e, acima de tudo, um apaixonado por tecnologia e pelo mundo jurídico com mais de uma década de atuação dedicada ao mundo digital.
Titulação acadêmica: Gestão de Marketing Estratégico na Univille (2006 a 2008); MBA em Marketing na Sustentare Escola de Negócios (2011 a 2012).

Publicidade

Deixe uma resposta