A semana dos barracos jurídicos

Olá seres de notável saber jurídico e reputação hipoteticamente ilibada!
E vamos hoje para mais um papo de jurista, e como o título disse, iremos tratar dos barracos jurídicos da semana.
Primeiramente isso é uma prova de que os operadores do direito de grande relevância, conhecimento, fama etc etc etc são gente como a gente! Todo mundo já passou por um barraquinho básico e com os nossos operadores do judiciário não seria diferente. Só que aqui a educação é maior, rs.

A divergência doutrinária do direito penal no Facebook

No começo dessa semana todo mundo viu o desentendimento entre o doutrinador/doutor de processo penal e juiz Guilherme Nucci e o também doutrinador/Doutor de processo penal Aury Lopes Jr. A discussão foi por conta de uma publicação de Aury a respeito do Nucci que rebateu de prontidão. Se você perdeu o barraco confira abaixo:

Mas, para o terror de quem estava colocando aquela lenha na fogueira básica torcendo para o circo pegar mais fogo ainda, tudo não passou de um desentendimento. Foi apenas um erro de comunicação, uma brincadeira. Tanto que o próprio Nucci postou em uma de suas redes sociais oficiais que estava tudo bem entre eles. Portanto, caso encerrado! Felizmente tudo terminou bem. Fim.

Bate-Boca no STF entre Barbosa e Lewandowsk

Segundo dia do julgamento dos recursos do mensalão termina após discussão entre Barbosa e Lewandowski Foto: André Coelho / Agência O Globo
Foto: André Coelho / Agência O Globo

Esse foi O barraco da semana! Gente! Desentendimento entre presidente e vice-presidente num nível desse e em plena época de um dos maiores julgamentos do Brasil? Você perdeu? Então eu conto como foi:

Por volta das 17h30, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) debatia os embargos de declaração apresentados à Corte pelo ex-deputado Bispo Rodrigues (PL-RJ), o ministro Joaquim Barbosa, atual presidente da Casa e relator da ação penal 470, encerrou a sessão de forma abrupta por conta de um forte bate-boca travado com o ministro Ricardo Lewandowski, revisor do caso.
A discussão entre os dois ministros se prolongou, após a sessão, na antessala do plenário da Corte. Do lado de fora, era possível ouvir um cobrando “respeito” do outro. De longe, também foi possível escutar a palavra “palhaçada”.
Barbosa e Lewandowski trocaram acusações e ofensas quando a Corte decidia sobre o prolongamento ou não da discussão em torno do embargo declaratório do ex-deputado Bispo Rodrigues. Barbosa achou que Lewandowski comportava-se de maneira inadequada
— É irrazóavel (estar aqui para discutir os embargos)? — disse Lewandowski.
— Vossa Excelência está querendo rediscutir (algo superado)!
— Então é melhor não julgarmos mais nada! — disse o revisor.

Visivelmente irritado, Barbosa retrucou:

— Peça vista, então. Traga o embargo somente no ano que vem!
Lewandowski sugeriu, por sua vez, que fosse dado mais tempo à analise da questão.
— Nós estamos com pressa de quê? — disse ele.
— Para fazer o nosso trabalho e não chicana — disparou Barbosa.
— Você está acusando um ministro de estar fazendo chicana? Peço à vossa excelência que se retrate imediatamente — disse Lewandowski.
Barbosa afirmou que não se retrataria e encerrou a sessão. No jargão jurídico, chicana é manobra para dificultar andamento de um processo.
Antes da discussão, os ministros debatiam se aceitavam ou não o argumento da defesa do Bispo Rodrigues que alegou que o réu foi julgado por uma lei posterior ao crime ocorrido (lavagem de dinheiro). O réu pede para ser julgado pela lei mais branda, a anterior. (O globo)

Ah não vamos esquecer do Chicana! Essa é nova pra mim e pra um monte de gente também! Não minta<

Quero ibagens! cadê?

Ai está:

Que papelão hein vcs dois! Isso porque não vou dizer aqui as palavras que ouvi a respeito do comportamento do presidente do STF… Parece que aquele revestimento de ídolo está sucumbindo… Mas não vamos colocar mais lenha nessa fogueira né? Nem imagino como está o sentimento das pessoas ao saberem disso… Tanto problema pra resolver e ainda criam mais por besteira. Vamos orar fortemente pra ver se a coisa melhora! #Oremos

Henrique Araújo
Henrique Araújo
Sergipano; Componente do grupo de pesquisa Educação, sociedade e Direito (CAPES/CNPQ); Advogado; Eterno estudante de Direito; Coautor do livro: Ensaios de Direito Constitucional - Uma homenagem a Tobias Barreto; Fã de xadrez e ficção científica.
[fbcomments]

1 comentário em “A semana dos barracos jurídicos

  1. não vejo problema algum em dois ministros discutirem, afinal a discussão traz ao ser humano capacidade de crescer, seja ela qual for, e, principalmente uma discussão em um nível tão elevado quanto esse ! sinceramente caro escritor você é um sensacionalista !

Deixe uma resposta