7 filmes que todo (futuro) advogado deveria assistir

7-filmes-advogados

 

Listamos 7 filmes que todo (futuro) advogado deveria assistir, vamos conferir?

Filmes que todo (futuro) advogado deveria assistir

 

1- O Advogado do Diabo

O jovem advogado, Kevin Lomax (Keanu Reeves), que nunca perdeu uma causa e é contratado por John Milton (Al Pacino) dono do maior e mais bem sucedido escritório de advocacia de Nova York.
Apresentado ao luxuoso ambiente dos grandes escritórios por Milton, Lomax fica deslumbrado e não dá atenção aos sinais de perigo que aparecem pelo caminho.
O filme mostra que se o advogado não tiver o pé no chão, muitas coisas ruins podem acontecer”, diz o advogado Rafael de Carvalho Passaro, do Stocche Forbes Advogados, referindo-se ao mundo dos grandes escritórios de advocacia.

O Advogado do Diabo
Diretor: Taylor Hackford
Ano: 1997
Duração: 143 min.

 

2- O Veredicto

O filme conta a história de um advogado decadente vivido por Paul Newman que vê a chance de se recuperar profissionalmente quando passa a defender uma vítima de erro médico.
Ele nega fazer acordos mesmo com grandes quantias em jogo para evitar o julgamento e enfrenta um grupo farmacêutico defendido por um famoso advogado.
Para Passaro, o longa é importante porque mostra forte o envolvimento de um advogado com a causa de seu cliente e o impacto disso na sua vida. “É interessante ver o sofrimento do advogado quando o julgamento começa a ir mal.”, diz.
Segundo o especialista, este sentimento é comum na carreira. “O advogado acaba se envolvendo e vivendo junto a sorte do cliente”, diz.
O Veredicto
Diretor: Sidney Lumet
Ano: 1983
Duração: 129 minutos

 

3- Questão de Honra

A morte acidental de um soldado em uma base militar vai parar nos tribunais por suspeita de que tenha havido uma punição extra-oficial. O advogado encarregado, vivido por Tom Cruise, evita qualquer tipo de acordo na tentativa de descobrir a verdade.
Segundo Passaro, o longa retrata como uma entrevista bem feita com uma testemunha pode mudar o rumo de todo o processo.
Para Domingos Fernando Refinetti, o longa vale, principalmente, porque mostra um ambiente hostil ao jovem advogado, nesse caso o tribunal militar. “Destaco a atuação do advogado preso a uma situação nova e inusitada”, diz Refinetti.
Questão de Honra
Diretor: Rob Reiner.
Ano: 1992.
Duração: 138 min.

 

4- Filadélfia

Andrew Beckett (Tom Hanks) é um advogado homossexual que é demitido de um escritório de advocacia quando fica impossível esconder que sofre de Aids.
A sua demissão vai parar no tribunais e Beckett é defendido por Joe Miller (Denzel Washington). Por sua atuação no longa, Tom Hanks ganhou o Oscar e o Urso de Prata de melhor ator em 1994.

“O filme é muito interessante porque a vítima é um advogado, defendido por outro advogado e o réu no processo é um escritório de advocacia na pessoa de seus sócios. Ou seja, há advogados em todos os lados”, diz Refinetti. Merecem destaque, na opinião dele a atuação de todos: vítima, réu e protagonista.
O debate que o longa estimula também é um ponto forte do longa, na opinião dele. “O pano de fundo traz a questão social premente à época”, diz Refinetti.

Filadélfia
Diretor: Jonathan Demme.
Ano: 1993.
Duração: 125 min.

 

5- Anatomia de um Crime

O tenente Frederick Manion (Ben Gazzara) é acusado de assassinar um homem que teria estuprado a sua mulher. A promotoria diz que o estupro não ocorreu e que a vítima era amante da mulher do réu.O foco do filme é advogado de Manion, Paul Biegler (James Stewart) e sua atuação no tribunal.

É um típico e épico filme sobre julgamento, tribunal e a atuação de advogados”, diz Refinetti. O especialista destaca o papel dos advogados que, no longa, são os grandes atores cuja função é criar um pano de fundo teatral para enredar os jurados.
Mostra o advogado como sendo o centro das atenções no tribunal do júri. Ele é a estrela a ponto de canalizar para si o drama de seu cliente”, diz.
Anatomia de um Crime
Diretor: Otto Preminger.
Ano: 1959.
Duração: 161 min.

 

6- Sem Destino

O clássico filme (não só para advogados) tem como pano de fundo a liberdade, busca central de dois motociclistas que viajam pelas estradas dos Estados Unidos no fim da década de 1960.
O recorte feito por Refinetti é o personagem George Hanson (Jack Nicholson), um advogado que tem problemas com a bebida. Ele tira os dois motociclistas da cadeia e acaba se juntando a eles. O advogado neste caso pode ser considerado um espelho da sociedade na época.
Jack Nicholson está no papel de um advogado absolutamente não convencional, tanto quanto os tempos que corriam”, diz ele destacando os novos tempos retratados no longa. “São tempos marcados por desesperança e por sentido de liberdade, intransigência e inconformismo”, diz o especialista.
Sem Destino
Direção: Dennis Hopper.
Ano 1969.
Duração: 94 minutos.

 

7- Os Eleitos

Não é um filme sobre advogados e sim sobre astronautas, mas transmite valores que são essenciais para a profissão, na opinião de Refinetti. O longa retrata a trajetória de sete astronautas escolhidos para viajar nas espaçonaves do programa Mercury.
É um filme que retrata bem o companheirismo, a força de vontade, a competição, concorrência e o espírito de corpo que são tão presentes nos escritórios de advocacia”, diz Refinetti.
Os Eleitos
Direção: Phillip Kaufman.
Ano: 1983.
Duração: 193 min.

 

E você nobre leitor(a), qual filme acrescentaria na lista?

Confira também nossa outra lista com 10 Filmes Jurídicos

Henrique Araújo

Sobre Henrique Araújo

Sergipano; Componente do grupo de pesquisa Educação, sociedade e Direito (CAPES/CNPQ); Eterno estudante de Direito; Coautor do livro: Ensaios de Direito Constitucional - Uma homenagem a Tobias Barreto; Colunista do mega jurídico e autor do blog Diário de um Estudante de Direito; Fã de xadrez e ficção científica.


Comentar via Facebook

31 comentários em “7 filmes que todo (futuro) advogado deveria assistir

  1. Tempo de Matar, filme que me despertou o interesse pelo Direito. O filme mostra um advogado branco defendendo um negro que matou dois rapazes brancos que haviam estuprado sua filha. Mesmo com a pressão da sociedade e com ataque da klu kluz klan ele o defendeu, sendo sua última fala uma verdadeira aula de como se fazer um júri.

    1. Olá Guilherme! Obrigado pelo acréscimo no post! Confesso que não assisti esse filme AINDA, com as as férias ai assistirei ele com certeza! Juntamente com os demais filmes indicados no comentários pela galera. Forte abraço.

  2. A CONDENAÇÃO… é espetacular: Baseado em uma história real, o filme conta a história da garçonete Betty Anne Waters, que deixou sua vida de lado para tentar livrar o irmão de uma acusação de assassinato. Convencida da inocência dele, Betty volta a estudar Direito para poder assumir o caso e salvá-lo.

  3. “Tempo de Matar” é realmente excelente, mas também indico um filme antigo, baseado numa obra de Agatha Christie, chamado “Testemunha de acusação”. Perfeito!!!! Não tem como não se apaixonar pela sagacidade do advogado!!!

  4. As duas faces de um crime, com Richard Gere e Edward Norton, deveria, sem dúvida, estar na lista. Não deixe de assistir, uma verdadeira aula de direito. Ótimo filme. Abraço

  5. Acrescentaria “O homem que fazia chover”, dirigido por Copolla e estrelado por Matt Damon e Danny DeVito. O filme se baseia em livro homônimo de Jonh Grisham, conhecido escritor de thrillers jurídicos. O livro é muito superior ao filme, mas vale à pena assisti-lo também.
    Para mim, na lista acima, o filme ficaria em primeiro lugar, pois retrata o início de carreira de um jovem advogado (Damon), que se alia a um rábula (DeVito), conhecido por angariar causas de forma nada ética. Acontece que em seu primeiro caso, o jovem advogado se depara com um caso de repercussão, contra uma grande companhia de seguros, representada por advogados famosos, em face da negativa de cobertura de tratamento de leucemia de seu cliente.
    Recomendo ambos, livro e filme.
    Abraços.

  6. Também a meu ver faltam alguns filmes imperdíveis para operadores do direito. Um deles é o preto e branco “O Sol é Para Todos”, que valeu o Oscar para Gregory Peck pela interpretação do ético e corajoso advogado Atticus Finch. Outro é “Doze Homens e uma Sentença”, no qual o diretor Sidney Lumet reuniu um elenco fabuloso, no qual se destacou o grande esforço de um homem com o objetivo de apenas inocular o princípio da dúvida onde a certeza condenatória estava sedimentada, ou seja, no corpo de jurados. A meu ver, aliás, este foi o filme que melhor a capacidade dramática de Jack Lemmon, um dos maiores comediantes norte-americanos de todos os tempos. Imprescindível, também, é “Sessão Especial de Justiça”, dirigido em 1967 por Costa-Gravas. É um filme ficcional baseado em episódio real, o pseudo-julgamento de “presos habituais” da Paris dominada pelos alemães, os quais deveriam se executados na base de dez por um em função da morte de soldados nazistas por partizans da Resistência francesa. A covardia com que os “juristas” da França se comportam ao entregar as vítimas aos alemães chega a chocar um oficial nazista formado em Direito, formulador de indagação inesquecível, mais ou menos com estas palavras: “E na França vocês julgam sem que uma lei anterior tipifique o crime?”. Deveríamos ainda recorrer a um antigo filme cujo título não me ocorre agora, no qual marido e mulher, acho que promotor e advogada, se enfrentam num tribunal urbano dos Estados Unidos. Os atores são os enormes Spencer Tracy e Katheryn Hepburn, amantes na vida real. Mais recentemente fizeram um filme em que filha e pai se enfrentam na corte, mas não me recordo aqui de seu título e seus protagonistas.

  7. À relação faltaram também as versões nova e original do “Julgamento de Nuremberg”, esta protagonizada pelo grande Spencer Tracy. E falta-lhe um filme, cujo nome não lembro agora, em que pai e filha, advogados, têm que se enfrentar num juri.

  8. Por último, peço perdão porque me esqueci de relacionar o clássico “Testemunha de Acusação”, no qual Charles Laughton dá um “show” competindo em desempenho com a grande Marlene Dietrich!

  9. Também deveríamos listar o brasileiríssimo “O caso dos Irmãos Naves”, um clássico ao focalizar a condenação de dois “assassinos” sem que o corpo de delito sequer tivesse sido localizado. Vários anos depois do sofrimento imposto aos irmãos Naves, o “cadáver” apareceu, andante e falante, porque estava vivíssimo durante todo esse tempo. Havia migrado do interior de Minas Gerais, cenário do seu “assassinato”, para São Paulo, SP. A história se baseia no livro homônimo do advogado mineiro João Alamy Filho.

  10. “O Júri com” e “Julgamento Final” com Gene Hackman, “A Civil Action”(A Qualquer Preço) com John Travolta, The Life of David Gale (a vida de Davi Gale) com Nicolas Cage, “Judgment at Nuremberg – 1961” ( Julgamento de Nuremberg), são esses alguns que indico e acredito ser ser de suma importância para o estudante e operador do Direito.

  11. “O exorcismo de Emily Rose”. Quando o padre exorcista é acusado de assassinato de Emily Rose e precisa se defender no Tribunal. Na própria faculdade recomendam ver o filme, para que o aluno exponha os 2 lados do julgamento. Pra quem gosta de filme intrigante, recomendo.

  12. FALTOU O JULGAMENTO DE NUREMBERG .NA FACULDADE , NAS DISCIPLINAS DE FILOSOFIA DO DIREITO, SOCIOLOGIA, DIREITO CONSTITUCIONAL E CIVIL. PEDIRAM PARA ASSISTIR ESSE FILME.

  13. O MERCADOR DE VENEZA, o meu professor da faculdade indicou e LEGALMENTE LOIRA também é relacionado com o direito.

  14. EU ACRESCENTO: “SEPARADOS, MAIS IGUAIS”, “JUSTIÇA PARA TODOS” E “AS TROMBETAS DE GIDEÃO”. GRATO.

Deixe uma resposta